Assine

Zootecnista: de um jeito ou de outro, ele faz parte do nosso dia a dia

Ele está no alimento, no medicamento, no lazer com pets e em muitas situações

Cláudia Guimarães, da redação

claudia@ciasullieditores.com.br

Nem só com médicos-veterinários se alcança a saúde de animais, pessoas e meio ambiente. Outro profissional tão importante quanto é o zootecnista, que trabalha com a parte produtiva, gerencial, de processamento e comercialização e, hoje (13), é homenageado em todo o País, por conta do Dia do Zootecnista.

zoogato
O zootecnista possui perspectivas para a conservação e
preservação das espécies e dos biomas (Foto: reprodução)

Estes dois profissionais atuam em conjunto em prol da prevenção de problemas e, neste ano, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV, Brasília/DF) foi além de entender essa essencialidade: formou equipes para contribuir com a profissão. Tratam-se da Comissão Nacional de Educação em Zootecnia (CNEZ), formado por sete zootecnistas, e da Câmara Técnica, formada por cinco. O conselheiro Suplente do CFMV e presidente da Câmara Técnica de Zootecnia, Fábio Holder de Morais Holanda Cavalcanti, conta que a câmara foi uma proposta de campanha desta gestão eleita. “Constitui-se em fórum qualificado para discussões pertinentes à profissão, bem como assessoramento à Diretoria Executiva e ao Plenário do CFMV”, afirma. 

Para Cavalcanti, essa é uma sinalização do CFMV dizendo que está disponível e ampliando o diálogo com o zootecnista a fim de tratar dos mais diversos assuntos técnicos e políticos inerentes à Zootecnia. “Um referencial para discutir os temas da Zootecnia nacionalmente”, pondera. Enquanto isso, a coordenadora do curso de Zootecnia da Unoeste e presidente da Comissão Nacional de Educação em Zootecnia do CFMV, Ana Claudia Ambiel Corral Camargo, menciona que a nova gestão do CFMV levou 22 zootecnistas para dentro do Conselho, como conselheiros e membros das comissões assessoras e da Câmara Técnica, além da participação no conselho editorial da Revista CFMV. “Um espaço que a Zootecnia já deveria ter ocupado há muito tempo. O que muda? Muda completamente a possibilidade de participação dos zootecnistas nas deliberações e ações do CFMV”, aponta.

adestrarzoo_1
O zootecnista é preparado para avaliar e interferir em
diferentes sistemas de criação animal (Foto: reprodução)

Funções. A Câmara Técnica de Zootecnia, segundo Cavalcanti, tem como objetivos propor políticas e regulamentação da atuação profissional, formação e exercício da Zootecnia; recomendar trabalhos que compreendam a relação formação/perfil profissionais e mercado de trabalho; aconselhar a formalização de parcerias com entidades públicas ou privadas relacionadas à Zootecnia; sugerir a realização de reuniões, eventos e estudos técnicos; pronunciar-se quanto aos trabalhos de comissões ou grupos de trabalho relacionados à Zootecnia; desempenhar outras atribuições que lhe forem designadas.

Já a CNEZ, de acordo com Ana, tem como missão fomentar a divulgação da Zootecnia, a qualidade do ensino e a valorização do profissional, ampliando sua atuação, propondo ações nas instituições de ensino e órgãos governamentais, além de conscientizar a sociedade sobre a importância do papel do zootecnista.

Parabéns aos zootecnistas. Fabio Cavalcanti afirma ser impossível definir a profissão em uma só palavra: “É melhor uma frase: o bem-estar único, que está além da Saúde Única, se preocupando com o bem-estar da população humana e dos animais. Afinal, o zootecnista trabalha com a produção de alimentos saudáveis, principalmente os de proteína animal, de forma sustentável, com perspectivas para a conservação e preservação das espécies e dos biomas”, expõe.

Ana define a atuação como ‘sistema’: “O zootecnista, durante toda a sua graduação, é preparado para avaliar e interferir em diferentes sistemas de criação animal, seja em animais de produção, de lazer, de companhia ou selvagens”.

E ambos acreditam que o que deve receber destaque neste Dia do Zootecnista e em todos os outros dias do ano é a importância da atuação destes profissionais, que já ultrapassam a marca dos 10 mil no País. “Seja na produção de alimento de origem animal com qualidade, sustentabilidade ambiental e, também, garantindo a rentabilidade dos diferentes sistemas de produção, como no atendimento de diversas demandas do consumidor e da sociedade”, compartilha Ana e Cavalcanti complementa: “Devemos saber da relevância desse profissional, que trabalha dentro e fora das propriedades, atendendo ao bem-estar dos animais”.

Ana ainda cita que, quando o assunto é ‘veterinários x zootecnistas’, não pensa nas diferenças, mas, sim, prefere falar em soma e em como cada profissional dentro da sua formação e especificidade pode contribuir para a sociedade e o bem-estar dos animais. “O trabalho multiprofissional é extremamente enriquecedor, veja as grandes empresas, com os trabalhos cooperativos. A Zootecnia está a cada dia fazendo mais isso, seja com as chamadas profissões-irmãs, Agronomia e Medicina Veterinária, ou com a Tecnologia de Informação, Estatística, Biotecnologia, Gestão e outras. Esse será o futuro de todas as profissões”, analisa.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.