Assine

Sonar impacta vida marinha e pode até provocar a morte de baleias

Países que proibiram a utilização já apresentam melhoras, segundo os pesquisadores

Um estudo publicado pela Royal Society B mostra que o sonar de navios, não só impacta a vida marinha, como pode literalmente parar as baleias de medo.

O barulho atordoante, principalmente para os mamíferos, faz com que eles nadem por metros, oscilando entre mergulhos em direção ao fundo do mar e de volta à superfície. Com isso, o animal passa por um efeito doloroso de descompressão e bolhas de nitrogênio no sangue.

O estudo aponta que essas bolhas podem causar hemorragia e danificar órgãos vitais. Um processo semelhante ao de descompressão que mergulhadores passam ao retornar para superfície muito rápido.

O som pode variar de 170 a 196 decibéis. Antes de 1960 esse tipo de sonar não era comum, foi somente depois, com o aparecimento de um tipo de sonar ativo de frequência média (MFAS), que o impacto na vida marinha piorou e baleias passaram a ser encontradas encalhadas e mortas em praias.

baleia_reproducao
Mamíferos são os principais afetados
com o impacto do sonar (Foto: reprodução)

“Na presença do sonar esses animais ficam estressados e tentam fugir do barulho, mudando assim o padrão de mergulho”, conta uma das autoras do estudo, Yara Bernaldo de Quiros.

Para cada baleia, o impacto pode ser diferente, mas sempre assimilados ao estresse. Os autores do trabalho notaram, também, que países que baniram o uso no fundo do mar apresentaram uma melhora significativa na vida marinha.

As Ilhas Canárias são um exemplo disso. A região desde 2004 segue uma moratória do governo espanhol que restringe o uso de sonares. Apesar do resultado positivo, muitos países ainda usam essa tecnologia.

Fonte: Galileu, adaptado pela equipe Cães&Gatos.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.