Assine

Especialistas analisam fatos e mitos e sobre cálcio em dietas

Filhotes de cães e gatos, fêmeas gestantes e lactantes foram foco de estudo

A suplementação de cálcio a filhotes de cães e gatos, fêmeas gestantes e lactantes sempre foi difundida por tutores, criadores e até mesmo veterinários visando uma melhor qualidade de vida aos animais. Mas será que é realmente necessário o uso dessa prática para que o pet tenha uma dieta que o mantenha saudável?

As médicas-veterinárias Raquel Valim Labres, Camila Baptista da Silva e Luciana Domingues de Oliveira, por meio de artigo, analisaram mitos e fatos sobre a utilização do cálcio na alimentação dos pets.

No caso da alimentação com ração seca ou úmida, as especialistas indicam que o excesso de cálcio durante a gestação pode afetar negativamente o desenvolvimento do esqueleto e resultar em deformidades fetais ou problemas durante o crescimento do filhote, também aumentando a eclampsia nas fêmeas gestantes.

Para uma outra dúvida recorrente, o artigo indaga que no caso da alimentação natural, suplementar com minerais é obrigatório, já que a ausência do balanceamento correto causa deficiências nutricionais graves, que inclusive podem ocorrer em cães e gatos adultos sem nenhuma necessidade especial. Para filhotes, gestantes e lactantes a situação é ainda mais delicada, as necessidades são maiores e os ajustes devem ser realizados com determinada rotina.

Porém, o excesso de cálcio na alimentação dessa tríplice de risco, prejudica a liberação e síntese de paratormônio, que regula a mobilização do elemento nos sistemas orgânicos. A inserção desregrada acaba diminuindo a capacidade da gestante de atender à alta demanda de cálcio que ocorre no início da lactação, entrando em estado de eclampsia (febre do leite ou tetania puerpal).

Dessa forma, as maiores necessidades de cálcio durante a gestação e lactação são supridas pelo aumento do consumo energético através de dietas balanceadas para esta fase de vida

É importante lembrar que os níveis circulantes de cálcio são controlados por mecanismos homeostáticos e independem da inclusão do material na dieta. Por isso, é comum encontrar níveis normais de cálcio sérico em pacientes que recebem dietas deficientes em cálcio. O circulante é essencial para a transmissão do impulso nervoso, contração muscular, coagulação sanguínea, ativação de sistemas enzimáticos, permeabilidade de membrana e função cardíaca.

Artigo salienta que é fundamental que os pets que recebem alimentos caseiros ou alimentação natural sejam acompanhados por veterinários nutrólogos ou zootecnistas nutricionistas a fim de que suas dietas e suplementação sejam ajustadas conforme a fase de desenvolvimento.

Para mais informações e detalhes sobre o tema, leia o artigo completo na edição de setembro da C&G VF. Acesse aqui.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.