Assine

Especialista aponta que apenas 5% das pulgas adultas ficam nos pets

Maioria das pulgas se reproduz e permanece espalhada no ambiente

Quem tem cão ou gato em casa com certeza já ouviu falar sobre a importância de manter os pets longe de pulgas e carrapatos. Mesmo aqueles que moram em locais de pouca incidência desses parasitas, como apartamentos, devem tomar alguns cuidados, já que o animal pode adquiri-los em um simples passeio na rua. Além de causar reação alérgica nos peludos, pulgas e carrapatos ainda podem trazer danos à saúde do animal e da família. 

Segundo a médica-veterinária e gerente de Produtos da unidade Pet da MSD Saúde Animal (São Paulo/SP), Daniela Baccarin, é importante que o controle dos parasitas seja feito de forma integrada com o ambiente, já que as pulgas adultas, por exemplo, conseguem botar cerca de 20 a 50 ovos por dia no local. “Por mais limpa que seja a casa ou o espaço em que o pet esteja acostumado a ficar, há grandes chances de haver ovos e larvas de pulgas e carrapatos, mesmo que eles tenham sido exterminados do animal. Isso faz com que em poucos dias o pet volte a sofrer com o problema”, afirma. 

Por isso, o tratamento preventivo contínuo é a melhor alternativa. Quando o animal está protegido contra os parasitas – seja por medicamentos de longa duração ou coleiras -, as chances de trazê-los no corpo para dentro de casa ou pegá-los novamente é quase nula. “Para que seu animal se mantenha protegido, o ideal é incluir nos cuidados com a saúde do pet produtos de longa duração – alguns chegam a ter eficácia de três meses -, que evitem que as pulgas e carrapatos se desenvolvam no ambiente. Quando não conseguem se alimentar do animal, elas acabam morrendo com o tempo”, ressalta Daniela. 

Prejuízos à saúde. Além da intensa coceira causada pela presença desses parasitas, pulgas e carrapatos também podem trazer danos à saúde do seu pet. Quando em grande quantidade, eles extraem muito sangue do animal, o que pode resultar em anemia. Além disso, os carrapatos podem transmitir uma série de doenças, como a Babesiose, Erliquiose, Febre Maculosa e Doença de Lyme, que também podem afetar humanos. 

Algumas medidas podem ajudar a identificar e eliminar pulgas e carrapatos do pet. Para isso, o tutor deve estar atento caso o animal comece a se coçar com frequência. Orelhas, pescoço, patas e topo da cabeça são os locais preferidos para o alojamento de parasitas, segundo a especialista. “Ao identificar pulgas ou carrapatos, é necessário utilizar produtos específicos para eliminação dos ovos e larvas no ambiente e ter atenção aos locais onde o pet fica mais presente e ambientes com superfícies quentes, como tapetes e estofados”, sinaliza. 

A profissional reforça que somente o especialista poderá indicar os exames adequados para avaliar se houve danos à saúde do animal. “Caso ainda não faça a administração de nenhum produto preventivo contra pulgas e carrapatos, a dica é optar por algum de longa duração, que dificulta a proliferação de novos ciclos de pulgas e carrapatos”, orienta. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.