Assine

Minerais orgânicos em pet food foi tema de encontro organizado pela Alltech

Demanda por bons produtos já faz parte do cotidiano do setor

Cláudia Guimarães, da redação

claudia@ciasullieditores.com.br

com colaboração de Sthefany Lara

sthefany@ciasullieditores.com.br

As exigências dos proprietários de cães e gatos, em relação à qualidade dos produtos de saúde, nutrição e bem-estar existentes no mercado, aumentam a cada dia. Com foco nas tendências, eles também desejam inúmeros predicados ao item que irá oferecer ao pet. Observando esses fatores adicionados a informações técnicas e relevantes, a Alltech (Araucária/PR) realizou, no dia 03 de abril, em Campinas (SP), uma atualização com o tema “Minerais orgânicos em pet food”.

forum
Convidados se atualizaram sobre nutrição mineral
e segurança nos alimentos (Foto: C&G VF)

Com a ideia de compartilhar novos conceitos e resultados relacionados à nutrição de animais de companhia, a empresa falou sobre as funções e utilização de minerais orgânicos, bem como sobre suas aplicações em dietas específicas para cada espécie. A doutora em Nutrição Animal e gerente Técnico-Comercial da Alltech do Brasil, Marlene Schmidt, contou que a companhia tem investido muito, nos últimos 20 anos, tanto na parte de produção propriamente dita, quanto na área de pesquisa e de controle de qualidade. “Uma coisa que sempre comento dentro da indústria de nutrição animal é que essas três fatores juntos asseguram um resultado de produtos de excelência para oferecer ao mercado”, atestou.

Durante a palestra sobre nutrição mineral e a importância do rastreabilidade e segurança nos alimentos para cães e gatos, a profissional explicou como ocorre o processo de produção na Alltech. “De forma objetiva, nosso procedimento se resume em cinco principais etapas”, disse. A primeira fase é onde o processo se inicia. “Nela utilizamos uma fonte de proteína vegetal (levedura) e, na fase 2, essa proteína é quebrada, nos fornecendo uma quantidade exata e desejada para o próximo procedimento”, adicionou.

Após essa quebra, a fase 3 é o momento da adição do mineral na forma inorgânica, como narrou Marlene. “Vale lembrar que a fonte de mineral que utilizamos é sulfato, então, o introduzimos para um processo químico que resultará na reação do mineral com a proteína”, descreveu. Na etapa 4, a mistura úmida é submetida à secagem e resfriamento. “Esse passo é realizado em uma câmera aquecida com injeção de ar quente, de forma controlada, e funciona como uma centrifuga. Outro ponto importante é que a aplicação dessa técnica não compromete as propriedade físicas e químicas desse alimento”, frisou. Por fim, depois da secagem, na etapa 5, os produtos são embalados e enviados para expedição.

Após essa apresentação, a médica-veterinária Flávia Borges abordou os novos conceitos de formulações de minerais para pet food. De acordo com ela, trabalhar com necessidades nutricionais, principalmente em espécies com expectativa de vida de até 20 anos, é extremamente difícil até para os macronutrientes. “Agora, imagina estabelecer necessidades de micronutrientes. É extremamente difícil e confuso, porque estamos trabalhando com elementos e microelementos coenzimáticos, que interferem em uma série de funções dos animais com muita longevidade”, discorreu.

A profissional também comparou as particularidades dos pets e dos humanos: “As pessoas também vivem muito, mas nós temos uma condição completamente diferente de cães e gatos, por conta da nossa modalidade alimentar, com alternativas para ingerir todos os tipos de nutrientes. Já os pets se alimentam em 99% de ração e, portanto, a dieta deve ser mais específica e é essencial que atenda às necessidades de cada espécie”.

forumalltech
Gerente da área de pet food afirma que, daqui a
uns anos, quase todas as empresas trabalharão com
minerais orgânicos (Foto: C&G VF)

Assuntos relevantes. Nos últimos anos, muitas investigações científicas comprovaram que o uso de minerais orgânicos é mais saudável para o animal, como apontado pelo gerente da América Latina na área de Pet Food da Alltech, Maurício Rocha. “Levando em consideração todos esses trabalhos que garantem que você pode diminuir o uso da recomendação desses minerais e manter, ainda, o animal saudável, com ótimo crescimento, sem nenhum problema de enfermidade, confirma que nós temos a necessidade de iniciar uma mudança na forma de elaborar a nutrição de cães e gatos”, opinou.

O gerente acredita que isso é uma tendência futura e que, daqui a uns anos, basicamente, quase todas as empresas estrarão trabalhando com minerais na forma orgânica e esquecendo os inorgânicos. “Isso porque os inorgânicos têm inúmeras contaminações e isso pode ser prejudicial tanto para a saúde do animal quanto para quem está produzindo e, além de quê, os minerais na forma orgânica, serão mais disponíveis e, em questão de valor, vai diminuir. Quanto mais utilizar, maior será a produção e menor será o custo”, ponderou.

Sustentabilidade. O pilar da Alltech, segundo Rocha, se resume em três pontos: consumidor, animal e ambiência. “Vamos produzir animais com mais qualidade, mais saudáveis e com melhores fatores, ou seja, com nutrientes mais bioativos, que trazem saúde ao animal e, também, para o ser humano. A ambiência se dá por conta do bom tratamento aos animais, com menor eliminação de certos ingredientes que reduzem a contaminação do ambiente e, dessa maneira, conservamos os três de uma maneira geral, sempre em um melhor nível possível, para que todos convivam no mesmo lugar e de forma harmônica”, explanou.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.