Assine

Dieta adequada deve levar em consideração necessidades do pet

Análise feita por veterinária mostra prós e contras de cada tipo de alimentação

A alimentação costuma ser uma das principais preocupações dos tutores em relação à saúde dos animais. As opções são diversas: ração tradicional, vegetariana, vegana ou dietas específicas. E, por vezes, geram dúvidas na hora da escolha, como identificar qual a melhor opção para cada pet?  A veterinária, especialista em comportamento animal e fundadora da Pet Anjo, Carolina Rocha faz uma análise sobre as opções e destaca quais aspectos devem ser considerados.

Ração tradicional: mais usada, a ração pode ser a primeira opção escolhida pelos tutores devido à sua praticidade. Para isso, a profissional aponta que é necessário que seja preparada com opções de qualidade. Os transgênicos, na visão de Carolina, é um dos fatores que tem feito o produto perder espaço.

Entre as rações tradicionais existem subtipos que são: as econômicas, consideradas de baixa qualidade nutricional, mas muito vendidos por conta do preço, as standard também de baixo custo com baixos níveis de proteína de origem animal, componentes de origem animal, é mais digerível e o pet não perde tantos nutrientes, a premium com valor mais alto e com maior quantidade de componentes de origem animal, considerada mais digerível e a superpremium, mais caras, contém carnes bovina, ovina e suína.

Segundo a veterinária, a melhor opção dentre as rações tradicionais são as superpremium, pois oferecem um valor proteico mais adequado porque ao invés de usar subprodutos (farinha de carne e gordura), ela é feita com a própria carne.

cachorro-adulto-comendo-racao
Cães e gatos carecem de alguns aminoácidos que
só estão presentes em proteínas animais (Foto: reprodução)

Alimentação com base em carnes: as dietas à base da proteína animal são consideradas bodas para os pets, entretanto, se oferecidas crua exigem cuidados referente ao tratamento que passam.  A presença de microorganismos em carnes mal manipuladas e conservadas, pode ocasionar problemas intestinais. Uma opção, segundo a veterinária é congelar a carne antes de oferecê-la para combater as bactérias. 

Dieta low carb: a dieta sem carboidratos vai depender da fase de vida em que o animal está e da necessidade nutritiva dele. Segundo Carolina, essa alimentação não é recomendada para todas as raças de cães. “Ele pode precisar de uma carga de carboidratos maior e além disso, vai depender da rotina. Se é um cão muito esportista ou ativo, talvez precise dessa maior quantidade de energia de fácil utilização, que é atingida pelo consumo do carboidrato”, relata.

Ração vegetariana ou vegana: o mercado está em crescimento, a temática tem sido bastante debatida, por conta do aumento no número de pessoas vegetarianas e veganas, que na maioria das vezes, tendem a oferecer ao animal uma ração que tenha mais a ver com o estilo de vida deles. A veterinária aponta que o ideal é balancear de acordo com o porte, a saúde, a raça e o comportamento do animal e um profissional da área de nutrição animal deve acompanhar.

Fonte: Es Hoje, adaptado pela equipe Cães&Gatos.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.